terça-feira, 24 de abril de 2018

O que ficou, ficou!

Secou as lágrimas. De nada lhe adiantava chorar.
Que mau hábito tinha o ser humano de chorar sobre leite derramado.
Que coisa! Mesmo sabendo que não há como voltar atrás, e que o que está feito está feito, acabava por chorar sobre algo que já não podia deixar de ser. O que aconteceu, aconteceu!
Tonta!
Recriminou-se pela parvoíce. Lágrimas vãs. Um belo desperdício, isso é que era.
Secou as lágrima e ergueu a cabeça. O que aconteceu, aconteceu! O que ficou, ficou! O que passou, passou!
Iria erguer-se... O passado tinha esta tendência de a impedir de viver o presente, e temer o futuro. Que coisa!
Secou as lágrimas. Levantou-se, abriu as janelas e sorriu para o mundo.
Abraçou o presente e ansiou pelo futuro. A vida é mesmo assim: o que ficou, ficou, e por lá deve ficar!

Adelaide Miranda

Sem comentários:

Publicar um comentário